terça-feira, 17 de abril de 2007

House, temporada 3

Nada me emocionou até agora, em toda a série, como o telefonema que o House faz aos pais na véspera de Natal. Deixa uma mensagem de boas festas no voice mail, que a mãe já devia ir a caminho da casa da Tia Sarah, onde o pai decerto se iria empanturrar com eggnog e peru seco. Depois kaputta lá no meio do chão (o House, não o pai).

Outro dia emocionei-me porque o Mulder, para acordar a Scully, que adormecera a seu lado no carro, lhe passa ao de leve a mão pela carita [terceira série dos X-Files]. Alguém me dê uma injecção de cinismo.

5 comentários:

NC disse...

Os teus ânus estão aí a chegar, acho que te vou oferecer como prenda um CD com as baladinhas dos Scorpions :D

bicho_de_conta disse...

This comment has been deleted by the author of the blog :D

CARAGO, não é esse tipo de lamechice, ora! É da boa!

Suz disse...

Bem, do House não me pronuncio, porque não sigo fervorosamente, vejo apenas random episodes na TVI (sigh..yeah, i know..).

Quanto aos Xis Files: se começas assim apenas com uma cariciazita na carita, ainda na 3ª temporada, deixa-te chegar mais à frente melher, e prepara os lencinhos.

Ainda te tornas numa Shipper at heart, valha-te!!!

NC disse...

O "Bué da Vento" é lamechice da boa! :P

bicho_de_conta disse...

Uma shipper? Que é isso? :D

Sim, o Bué da Vento é um caso (uma versão) aparte!

Tempos idos

FEEDJIT Live Traffic Feed